Foto. Sitio NASA

Bennu ou “asteroide do Apocalipse” poderá ser visto a olho nu no céu durante a noite do Dia de São Valentim, que é o dia dos namorados em outros países em 14 de fevereiro.

Há a probabilidade de que o “asteroide do Apocalipse” entre em colisão com a Terra daqui a 100 anos, o asteroide surgirá a partir do lado direito de Marte.

Em caso de colisão com a Terra, o asteroide lançaria 80.000 vezes mais energia do que a bomba atômica de Hiroshima, sendo assim, é um dos asteroides mais perigosos nas proximidades da Terra. Atualmente, o asteroide é o objetivo da NASA, inclusive, a missão conta com a espaçonave OSIRIS-REx, que foi lançada em 2016 com o objetivo de estudar e coletar amostras do asteroide Bennu.

A Nasa (agência espacial americana) vai lançou em setembro de 2016, a sonda OSIRIS-REx para recolher amostras do Bennu, um asteroide que pode um dia colidir com a Terra. Segundo explicou Dante Lauretta, professor de ciências planetárias na Universidade do Arizona (EUA), o astro vai passar entre a Terra e a Lua em 2135.

Foto. Reprodução Facebook

Ele provavelmente foi formado no principal cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, mas agora está mais perto do que nunca da Terra. Bennu pode conter moléculas orgânicas similares àquelas que iniciaram a vida na Terra, pois sua matéria não sofreu mudanças por bilhões de anos. A Osiris-Rex é a primeira espaçonave lançada a partir da Terra com aproximadamente 500 metros de comprimento a conseguir circular nas proximidades de um objeto espacial tão pequeno com gravidade suficiente apenas para manter o veículo em uma órbita estável.

Foto. NASA

O acrônimo OSIRIS foi escolhido em referência ao antigo e mitológico deus egípcio Osíris, o senhor da morte no submundo. Além disso, seu nome foi escolhido para essa missão, pois o asteroide Bennu pode possivelmente atingir a Terra causando destruição e morte.O corpo celeste, denominado “asteroide do Apocalipse”, está localizado entre a Terra e Marte, pesa 87 milhões de toneladas e orbita o Sol.

A NASA ainda acredita que haja a presença de água ou moléculas similares à água que podem ajudar a revelar como o Sistema Solar foi formado e a história de seus planetas.

Atualmente, a Osiris-REx está na órbita de Bennu, avaliando possíveis locais de pouso a fim de coletar amostras, devendo voltar para a Terra em 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here