REDE DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES SERÁ DEBATIDA EM SESSÃO ESPECIAL

O nordeste do Brasil está liderando nos tipos de crimes mais cruéis contra a mulher. São mortes cada vez mais violetas, estupros com requinte de crueldade. O que mais assusta é número de crianças vítimas de estupros pelos próprios familiares e assassinato de crianças a marteladas entre outros.

No entanto chegamos a uma conclusão, que o papel da mulher na política se torna cada vez mais importante para auto defesa das próprias lutas, já que ao longo de décadas pouca coisa evoluí em favor do sexo feminino.

Nesta preocupação, uma comissão formada por mulheres da Câmara Legislativa de Alagoas, vai promover debates sobre o papel do poder público no é fretamento da violência contra a mulher.

O evento vai acontecer numa sessão especial que acontece na próxima segunda-feira (18), às 15h, no plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas. O encontro é uma iniciativa da bancada feminina, em alusão ao mês internacional da mulher.

Um dos destaques da sessão será a palestra “Uma análise dos dados de Alagoas no mapa da violência”, ministrada pela doutora Jackeline Romio. Com mestrado e doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a demógrafa desenvolveu uma metodologia para mapear e entender os feminicídios ocorridos no Brasil.

Também participa da sessão, a presidente da Comissão Especial da Mulher da OAB/AL, Caroline Fidélis, apresentando o tema “O processo investigatório e judicial que enfrenta a mulher vítima de violência em Alagoas”. Ela é professora universitária e mestra em sociologia pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Ainda na esfera do direito, a advogada Andrea Alfama falará sobre o impacto da violência na comunidade e na família das mulheres vítimas de violência e feminicídio. Andrea é advogada dos familiares da professora Joana Mendes, assassinada aos 34 anos, com cerca de 30 facadas pelo ex-companheiro, em outubro de 2016. 

Atendimento e demandas

Na esfera governamental, a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) apresentará aos presentes detalhes sobre a rede de atendimento e acolhimento em Alagoas, além dos programas e projetos em andamento voltados ao combate à violência contra as mulheres. 

Já representantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) darão orientações sobre a aplicação da Lei do minuto seguinte e farão uma explanação acerca do atendimento às mulheres na rede de saúde.

As demandas, necessidades e possíveis soluções envolvendo a rede de enfrentamento à violência contra a mulher em Alagoas também serão discutidas por integrantes do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Alagoas (Cedim) e demais entidades ligadas ao tema. 

Rede de apoio

Uma das propositoras da sessão (ao lado das deputadas Ângela Garrote, Fátima Canuto, Flávia Cavalcante e Cibele Moura), a deputada Jó Pereira reforçou que o encontro visa, principalmente, traçar a rede de apoio as mulheres em todo o Estado, como delegacias, casas de passagem, casas de apoio e Patrulha Maria da Penha. “Queremos também ouvir o movimento de mulheres, a sociedade civil organizada, no sentido de propormos soluções para fortalecer essa rede de apoio de enfrentamento à violência”, explicou.

Jó lembrou que a sessão acontece em um momento histórico na Casa, com a formação da bancada feminina e a criação de uma comissão específica da mulher: “Tendo a mulher como um dos temas de comissão, teremos condição de usar o arcabouço de poderes atribuídos a uma comissão para a pauta feminina, não só no caso da violência, mas nas áreas da saúde, educação, oportunidade no mercado de trabalho, entre outros”.

“Precisamos mostrar que nós, mulheres, temos unidade, não só de pensamento, mas de causa, e que nós sabemos o que queremos”, concluiu a parlamentar, ao frisar a importância da contribuição da sociedade e da participação das mulheres na sessão da próxima segunda-feira.

Com Informações do blog do Bernardino

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here