Paula Toller, vocalista da banda Kid Abelha, pediu ao PT e ao Tribunal Regional Eleitoral (TER) do Rio de Janeiro, em outubro de 2018, que a militância não utilizasse a música Pintura Intima, sem autorização do grupo, a favor do político Fernando Haddad, a favor do candidato a Presidência da República.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro determinou que fossem excluídos das redes sociais: Instagram, Facebook, Twitter e outros os vídeos de apoio ao candidato ao Fernando Haddad (PT). A decisão, assinada pelo juiz Mauro Nicolau Junior.

“A despeito de a propaganda fazer menção a candidato ao cargo de Presidente da República a ilegalidade da utilização de imagem alheia sem sua prévia permissão caracteriza a ilicitude da conduta permitindo a atuação da equipe de fiscalização de propaganda eleitoral.”

Os vídeos mostravam trecho da gravação do DVD Acústico MTV em que Paula canta a frase “amor com jeito de virada”. O trecho foi utilizado pela militância que apostavam em uma virada na corrida à Presidência na disputa com Jair Bolsonaro (PSL).

“Cuida-se de requerimento da artista Paula Toller que teve seu trabalho utilizado para propaganda eleitoral sem seu consentimento”, diz a decisão. “A despeito de a propaganda fazer menção a candidato ao cargo de Presidente da República a ilegalidade da utilização de imagem alheia sem sua prévia permissão caracteriza a ilicitude da conduta permitindo a atuação da equipe de fiscalização de propaganda eleitoral.”

Depois de entrar com duas musicas no LP “Rock Voador”, uma coletânea de bandas novas lançada pela Warner, a banda é contratada pela gravadora e grava o primeiro compacto, Pintura íntima, que teve no lado B a canção Por Que Não Eu?. “Fazer amor de madrugada…” foi o primeiro refrão do Kid Abelha a ficar na cabeça dos brasileiros, e primeiro disco de ouro. Em 1984, o maior sucesso da banda entrou como lançamento do segundo compacto, Como Eu Quero, os levou ao segundo disco de ouro. O Lado B era Homem com uma Missão.

“Se por um lado é fato que a utilização indevida de imagem de pessoa pública gera direito a indenização, por outro não é menos verdade que o exercício do poder de polícia do juiz eleitoral pode e deve ser instrumento eficaz a fazer cessar a propaganda irregular e ilegal”, diz o juiz.

A vocalista alega que não foi atendida pelo partido e entrou com a ação contra Haddad e PT. Paula Toller pede R$ 200 mil ao partido por utilização indevida de imagem e obra. Desde o fim do Kid Abelha, Paula Toller segue em carreira solo.

 

Segundo consta na petição, a propaganda usava imagens de Jorge Israel, integrante do grupo e, depois, a autora surgia cantando e dançando os versos “Fazer amor de madrugada, Amor com jeito de virada”.

As informações são da coluna do Estadão “Direto da Fonte”.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here