A Polícia Federal e a Receita Federal

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (28), a Operação Exploit  tendo como objetivo desarticular a associação criminosa que teria promovido os ataques hackers ao TSE no primeiro turno das Eleições 2020, com o acesso e divulgação ilegal de informações de servidores públicos do TSE. As ações se desenvolvem com a cooperação da Polícia Judiciária Portuguesa – Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e Criminalidade Tecnológica.

Zambrius já teria sido detido na última quarta-feira (25), pela polícia portuguesa, após assumir a autoria da invasão do site da Atletis. Segundo informaçõe da PJ, o mesmo Hacker já teria sido detido e estava em prisão domiciliar, determinada pelo poder judiciário Português. Veja mais sobre este caso aqui.

O recluso é um cidadão português de 19 anos, segundo um comunicado da polícia portuguesa, e utiliza o codinome Zambrius. Segundo a PF, três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares proibindo o contato entre investigados estavam sendo executados em São Paulo e Minas Gerais e, em Portugal, além do mandado de prisão, um mandado de busca e apreensão.

Estão sendo cumpridos, no Brasil, três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados nos estados de SP e MG. Além disso, em Portugal, são cumpridos um mandado de prisão e um mandado de busca e apreensão. Os mandados cumpridos no Brasil foram expedidos pelo Juízo da 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, após representação efetuada pela Polícia Federal e manifestação favorável da 1ª Promotoria de Justiça Eleitoral.

O inquérito policial aponta que um grupo de hackers brasileiros e portugueses, liderados por um cidadão português, foi responsável pelos ataques criminosos aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral – TSE quando do primeiro turno das Eleições de 2020.

A Polícia Federal apura o acesso ilegal aos dados de servidores públicos divulgados no dia 15/11, além de outras atividades criminosas do grupo.
Os crimes apurados no inquérito policial são os de invasão de dispositivo informático e de associação criminosa, ambos previstos no Código Penal; além de outros previstos no Código Eleitoral e na Lei das Eleições (9.504/97).

Não foram identificados quaisquer elementos que possam ter prejudicado a apuração, a segurança ou a integridade dos resultados da votação.

Um exploit é uma parte de software, um pedaço de dados ou uma sequência de comandos que tomam vantagem de um defeito a fim de causar um comportamento acidental ou imprevisto no software ou hardware de um computador ou em algum dispositivo eletrônico.

Zambrius já teria sido detido na última quarta-feira (25), pela polícia portuguesa, após assumir a autoria da invasão do site da Atletis. Segundo informaçõe da PJ, o mesmo Hacker já teria sido detido e estava em prisão domiciliar, determinada pelo poder judiciário Português.

A operação da PJ deteve o Hacher conhecido por Zambrius, de 19 anos e mais um integrantes do grupo cyberteen, que são supostos responsáveis pelo recente ataque à empresa Altice e entidades governamentais do Brasil.

Foram identificados outros dois suspeitos e realizadas quatro buscas domiciliárias em que foi apreendido diversos materiais.

Num comunicado, a Polícia Judiciária de Portugal, informou que, através da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) “procedeu à localização e detenção de um individuo de 19 anos, e à identificação de mais dois suspeitos da prática reiterada de crimes de acesso ilegal, falsidade, dano e sabotagem aos sistemas de empresas públicas e privadas”.

 

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here