11 C
New York
quarta-feira, junho 16, 2021
HomeBrasilAntônio Palocci (ex-ministro de Dilma e Lula) vai para o regime aberto...

Antônio Palocci (ex-ministro de Dilma e Lula) vai para o regime aberto com uso da tornozeleira eletrônica

Palocci vai para o regime aberto, a partir desta terça-feira (6), mas com tornozeleira eletrônica.

O juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, autorizou a progressão de pena de ANTÔNIO PALOCCI FILHO (ex-ministro de Lula e Dilma), condenado na Operação Lava Jato.

Em sua decisão o juiz impõe que o ex-ministro terá que permanecerá com tornozeleira eletrônica, terá que cumprir recolhimento domiciliar noturno, de segunda a sexta, e integral aos sábados e domingos.

Palocci foi condenado na Lava Jato, a mais de 9 anos prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em novembro de 2018 o TRF-4 diminuiu a pena e autorizou que o ex-ministro ir para a prisão domiciliar, reconhecendo a validade do acordo de colaboração firmado por ele com a Polícia Federal.

Palocci foi um dos principais nomes do primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva e chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, foi condenado na Lava Jato acusado de ser uma espécie de gerente de propinas para o PT.

Nos trechos já conhecidos de sua delação, o ex-ministro aborda supostas irregularidades na Petrobras e em fundos de pensão nos governos Dilma e Lula.

Palocci disse que 90% das medidas provisórias editadas por Lula e Dilma incorporaram emendas negociadas em troca de propina das empresas beneficiadas. Também afirmou que as campanhas da ex-presidente em 2010 e 2014 custaram muito mais caro do que os registros indicam somado o triplo do que foi declarado.

O ex-ministro inicialmente tentou firmar acordo com o Ministério Público Federal, que assinou os acordos de colaboração ao longo da Lava Jato, mas os procuradores consideraram que ele não havia apresentado elementos suficientes para a formalização do compromisso.

A defesa de Palocci então procurou a Polícia Federal, que desde decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) em junho passado passou a ser autorizada a também assinar acordos de colaboração com criminosos confessos.

O acordo do ex-ministro com a PF foi homologado por João Pedro Gebran Neto também em junho.

O compromisso previu, entre outros assuntos, que o ex-ministro relate ilegalidades envolvendo a sua empresa de consultoria, a Projeto, o suposto cartel de empreiteiras na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte (PA) e uma suposta violação de sigilo em uma investigação envolvendo Lula na própria Lava Jato.

Nos inquéritos que serão instaurados no Paraná ligados à delação, o compromisso previa a redução em até dois terços da pena, desde que haja colaboração.

À época de sua prisão, os investigadores levantaram a suspeita que o ex-ministro era o “Italiano” mencionado em conversas e em uma planilha de pagamentos da Odebrecht.

Após o depoimento em setembro de 2017 no qual fez acusações em série contra Lula, Palocci pediu desfiliação do PT.

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Unknow (Alguém que ja participou desse sistema Ebenezer e conheceu nos bastidores) on Patrícia Lelis se envolve em mais uma polêmica, ataca seu ex pastor no Twitter
admin on Turpis Nisl Sit
admin on Turpis Nisl Sit