terça-feira, maio 24, 2022
InícioCOVID-19Brasil atinge segundo maior pico de contaminação por Covid-19

Brasil atinge segundo maior pico de contaminação por Covid-19

Segundo dados do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), o Brasil registrou 137.103 novos casos de Covid-19 nesta terça-feira

Um ano após o início da vacinação contra Covid-19 no Brasil, o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, admitiu que o país enfrenta terceira onda da pandemia. “Vamos observar o comportamento da evolução dos casos. Naturalmente, há um aumento de número de casos e isso pode ser considerado sim uma terceira onda em função da Ômicron”, disse.

Segundo dados do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), o Brasil registrou 137.103 novos casos de Covid-19 nesta terça-feira (18/01).

A Variante Ômicron mostra seu poder de fogo, com muitas contaminações, mas, com baixo número letal. A pandemia de covid-19 volta exatamente no fim das comemorações de Natal e Ano Novo. Nesta terça-feira (18/01), o Brasil contabilizou 351 mortes pelo vírus e 137.103 novos casos, em 24 horas. Ao todo o Brasil registra 621.517 óbitos acumulados.

66.338 casos (+93,74%) e 204 óbitos (+138,78%) a mais que terça-feira passada. *Recorde de casos diários e na média móvel no Brasil. *41 óbitos represados no CE. *Diversos estados com recordes de casos e na média.

Com isso, chegou à média móvel de 83.205 infecções (considerando os últimos sete dias), a maior desde o começo da pandemia pelos registros do Conass. Média móvel é a média dos casos registrados nos últimos sete dias.

Até então, a maior média móvel notificada pelo Conass havia sido em 24 de junho de 2021, e foi de 77.328 casos.

O índice atual representa um crescimento de 12,9% em relação à média móvel do dia anterior e 90,6% em relação à da semana anterior.

A média de casos está em 83.205 novos infectados ao dia, um aumento de 742% em comparação há 14 dias. A alta ocorre enquanto a variante Ômicron avança rapidamente pelo país. Os registros também têm aumentado enquanto as notificações de estados e municípios são regularizadas, após ataque aos sistemas de dados do Ministério da Saúde, em dezembro, que provocou represamento de informações acuradas.

A média móvel diária de mortes subiu novamente, para 182. Em comparação com o verificado há duas semanas, houve variação de 83,7%, o que significa um crescimento no número de mortes causadas pela doença no país. Nas últimas 24 horas, foram 351 óbitos.

Os cientistas temem que grupos de pessoas não vacinadas possa ser uma fonte de novas variantes, como o Ômicron. E esses grupos persistentes de pessoas não vacinadas em todo o mundo apresentem um risco maior de surgimento de novas variantes preocupantes

Pesquisas mostram que as pessoas em dez nações de baixa e média renda geralmente estão mais ansiosas para receber a vacina COVID-19 do que as pessoas em duas nações mais ricas, onde a vacina é abundante.

Onde tem mais recursos financeiros, a Variante Delta e a Ômicron está atacando em cheio e levando pessoas para os hospitais.

Podem estar escondendo dos brasileiros, ou nossa capacidade de resistência aumentou muito.

As preocupações com os efeitos colaterais e a eficácia da vacina são os principais motivos pelos quais as pessoas ainda recusam a vacina COVID-19.

Soumya Swaminathan, cientista chefe da Organização Mundial de Saúde, disse a segunda-feira (20/12) que ainda é muito cedo para concluir que a Variante Ômicron é mais leve que outras cepas da Covid, ainda pode adoecer pessoas o suficiente para sobrecarregar os sistemas de saúde.

“Provavelmente pouco inteligente relaxar e pensar que esta é uma variante leve, que não causará uma doença severa, porque penso que, com os números subindo, todos os sistemas de saúde estarão sob pressão”, disse Soumya Swaminathan para jornalistas em Genebra, na Suíça.

Ainda precisamos tomar precauções e permanecer vigilantes. Ouça o conselho dos médicos: mesmo que esteja totalmente vacinado, você deve usar uma máscara quando estiver dentro de casa em um ambiente público. Isso ajudará a proteger você e outras pessoas – especialmente crianças com menos de 5 anos que ainda não podem ser vacinadas.

CUIDADOS COM A COVID-19

 

Lave as mãos regularmente e cubra tosses e espirros

 

Lave as mãos com água e sabão ou use desinfetante para as mãos regularmente ao longo do dia. Lavar as mãos regularmente é uma forma eficaz de reduzir o risco de contrair doenças, incluindo COVID-19.

É particularmente importante lavar as mãos:

depois de tossir, espirrar e assoar o nariz e antes de comer ou manusear comida

depois de entrar em contato com superfícies tocadas por muitos outros, como puxadores, corrimãos e interruptores de luz

depois de entrar em contato com áreas comuns, como cozinhas e banheiros

quando você voltar para casa

Sempre que possível, evite tocar em seus olhos, nariz e boca. Se precisar tocar seu rosto, por exemplo, para colocar ou tirar a cobertura facial, lave ou higienize suas mãos antes e depois.

Tossir e espirrar aumenta o número de gotículas e aerossóis liberados por uma pessoa, a distância que ela percorre e o tempo que permanece no ar. Cobrir a tosse e os espirros ajudará a reduzir a propagação de partículas que transportam COVID-19 e outros vírus, incluindo aqueles que causam tosses e resfriados.

 

Limite o contato próximo com outras pessoas

Quando alguém com COVID-19 respira, fala, tosse ou espirra, eles liberam partículas contendo o vírus que causa o COVID-19. Essas partículas podem ser inaladas por outra pessoa.

Você pode optar por limitar o contato próximo que tem com pessoas com quem normalmente não mora. Você também pode optar por fazer um teste de fluxo lateral antes de entrar em contato próximo e também encorajar as pessoas com quem está se reunindo a fazê-lo, o que ajudará a controlar os períodos de risco. Isso inclui contato próximo em um ambiente de alto risco ou ao passar longos períodos de tempo com um indivíduo vulnerável.

Estas são escolhas pessoais que podem ajudar a reduzir o risco de pegar ou espalhar COVID-19. É importante considerar que outros podem querer continuar a ter uma abordagem mais cautelosa. Devemos todos levar isso em consideração e oferecer oportunidade e espaço para que outros reduzam os contatos próximos, se assim o desejarem.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Unknow (Alguém que ja participou desse sistema Ebenezer e conheceu nos bastidores) on Patrícia Lelis se envolve em mais uma polêmica, ataca seu ex pastor no Twitter
admin on Turpis Nisl Sit