11 C
New York
quinta-feira, junho 17, 2021
HomeCoronavírusCoronavírus Brasil: 462.791 óbitos

Coronavírus Brasil: 462.791 óbitos

A Pasta autoriza a imunização da população em geral por ordem decrescente de faixa etária

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) apontou nesta segunda-feira (31), 860 óbitos nas últimas 24h e 30.434 novos casos da doença.

O país registrou 30.434 novos casos, 860 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas e chegamos a 462.791 óbitos. 16.545.554 pessoas já foram diagnosticadas com Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 14 milhões de pessoas já se recuperaram da doença no país.

#PainelConass Covid-19 Data: 31/05/2021, 18h Casos • 30.434 no último período. • 16.545.554 acumulados. Óbitos • 860 no último período • 462.791 óbitos acumulados.

Média Movel de Casos(60.685) está em queda de -8,32% em relação a 7 dias atrás(66.195) e -5,05% em relação a 14 dias atrás(63.914) Média Móvel de Óbitos(1.848) está em queda de -2,89% em relação a 7 dias atrás(1.903) e -2,79% em relação à 14 dias atrás(1.901)

De acordo com a Anvisa, a Pfizer entrou com o pedido em 13 de maio. O prazo para a agência analisar os estudos apresentados pelo laboratório e conceder uma resposta é de 30 dias.

De acordo com a Anvisa, a Pfizer entrou com o pedido em 13 de maio. O prazo para a agência analisar os estudos apresentados pelo laboratório e conceder uma resposta é de 30 dias.

Depois da apreensão com a paralisação na produção de vacinas, uma notícia boa: o @butatanoficial e a @fiocruz vão receber insumos da China nos próximos dias para a produção de 25 milhões de doses. A Coronavac e a AstraZeneca respondem hoje por 99% das vacinas aplicadas.

O Ministério da Saúde antecipou a vacinação contra a covid-19 para os trabalhadores de educação. Além disso, a Pasta autoriza a imunização da população em geral por ordem decrescente de faixa etária, após conclusão da vacinação dos grupos prioritários mais vulneráveis e trabalhadores de educação.

O ministério começará a enviar doses aos estados, de forma escalonada, para atender a esse público, juntamente com outros grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

A motivação da priorização dos trabalhadores da educação se deve aos impactos sociais ocasionados pela covid-19 com a necessidade de volta às aulas presenciais. As creches e escolas contribuem não só para a educação de milhares de brasileirinhos como também garantem a segurança alimentar das crianças.

No caso dos trabalhadores de educação, a orientação é seguir essa ordem de prioridade: creches, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e Educação de Jovens e Adultos e, na sequência, trabalhadores da educação do ensino superior.

“Nós tivemos diversas discussões em relação ao reordenamento do PNO, mediante alguns relatos de estados e municípios terem, neste momento, demanda reduzida. A gente não pode deixar a vacina estocada. Então, resolvemos flexibilizar um pouco essa ação com o objetivo de acelerar a vacinação dos grupos prioritários”, afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, durante coletiva de imprensa sobre o tema nesta sexta-feira (28).

Para além dos grupos prioritários, entre eles os trabalhadores da educação, o Ministério da Saúde também autoriza a vacinação da população geral, de 18 a 59 anos. Para iniciar a vacinação da população em geral, terá que ser verificada a situação de cada localidade.

Assim que completar a vacinação dos grupos mais vulneráveis (pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, pessoas em situação de rua, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade e população privada de liberdade) e trabalhadores de educação, é possível iniciar a vacinação por faixa etária, desde que a vacinação dos grupos prioritários restantes seja mantida e cumprida, de acordo com a ordem estabelecida pelo PNO.

“O PNI vai atender o segmento em continuidade ao PNO, e vai também atribuir um percentual por faixa etária, começando da faixa etária mais velha para a mais jovem. Pois quanto maior a faixa etária maior o risco de complicações e óbitos. Com isso, segue-se o mesmo critério utilizado para definição dos grupos prioritários”, disse a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana.

As recomendações foram pactuadas na Comissão Intergestores Tripartite (CIT), realizada nesta quinta-feira (27/5), com representantes do Ministério da Saúde, estados e municípios. As orientações também estão em uma nota técnica do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Governo do Estado dá prosseguimento, nesta segunda-feira (31/5), à distribuição da remessa 21 de vacinas contra a covid-19. As 60.840 doses da Pfizer saíram em caminhões escoltados pelas Forças de Segurança para o aeroporto da Pampulha, de onde são enviadas, por via aérea, para as Unidades Regionais. Esta é a maior operação de vacinação da história de Minas Gerais.

Das regionais, as vacinas seguirão para os 73 municípios selecionados, a partir de critérios técnicos, pela Comissão Intergestores Bipartite do Sistema Único de Saúde do Estado de Minas Gerais (CIB-SUS/MG Nº 3.429) para receberem as doses da fabricante. Esta remessa da Pfizer é destinada à vacinação de pessoas com deficiência permanente, comorbidades, trabalhadores do transporte aéreo, Forças de Segurança e Salvamento.

Já na última sexta-feira (28/5) doses de AstraZeneca foram entregues às Unidades Regionais (URS) de Barbacena, Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Itabira, Leopoldina, Ponte Nova, Teófilo Otoni e Unaí. Nesta segunda-feira (31/5), o restante do lote 21 está sendo entregue a outras 19 URSs.

Confira os 73 municípios que receberão doses da vacina Pfizer:

A Comissão Intergestores Bipartite deliberou, em 27/5, a inclusão de mais 26 municípios para o recebimento da vacina Pfizer.

Além Paraíba, Almenara, Andradas, Araçuaí, Arcos, Barão de Cocais, Boa Esperança, Bocaiúva, Bom Despacho, Brasília de Minas, Brumadinho, Caeté, Campo Belo, Capelinha, Carangola, Carmo do Paranaíba, Cataguases, Congonhas, Diamantina, Esmeraldas, Espinosa, Extrema, Formiga, Frutal, Guanhães, Guaxupé, Igarapé, Itabirito, Itamarandiba, Iturama, Jaíba, Janaúba, Januária, João Pinheiro, Lagoa da Prata, Lagoa Santa, Leopoldina, Machado, Mariana, Mateus Leme, Matozinhos, Minas Novas, Monte Carmelo, Nanuque, Novo Cruzeiro, Oliveira, Ouro Branco, Ouro Fino, Ouro Preto, Pedro Leopoldo, Pirapora, Piumhi, Pompéu, Ponte Nova, Porteirinha, Rio Pardo de Minas, Salinas, Santa Bárbara, Santa Rita do Sapucaí, Santana do Paraíso, Santos Dumont, São Francisco, São Gotardo, São Joaquim de Bicas, São Lourenço, São Sebastião do Paraíso, Sarzedo, Taiobeiras, Três Marias, Três Pontas, Várzea da Palma, Viçosa, Visconde do Rio Branco.

Critérios para cada município receber o imunizante da Pfizer:

– População entre 30.000 e 78.999 habitantes;

– Ter equipe capacitada para a administração da vacina;

– Os municípios deverão estar distantes no máximo 2h30 da capital, por modal aéreo ou rodoviário (veículo refrigerado), para garantir a preservação da temperatura de transporte indicada (-15°C à -25°C) e até 12h entre (2°C à 8°C), observada a estrutura atualmente disponível para logística;

– As unidades de saúde devem comprovar mecanismos de agendamento para vacinação. A lista de usuários indicados à vacinação deve ser de duas vezes o total de vacinas disponibilizadas àquela unidade (lista de espera/contingencial);

– Agendar a vacinação de um total de pessoas compatível com o consumo de 100% das vacinas a serem recebidas, em no máximo 4 dias, a contar da data agendada para o recebimento das vacinas;

– O tempo de validade máximo após abertura do frasco, conservado entre 2°C e 8°C, é de 6h. Os procedimentos devem estar orientados à utilização integral das seis doses (0,3ml) por frasco no período de funcionamento/vacinação;

– Não deve ser realizada a vacinação com Pfizer fora das unidades de saúde, de forma que as condições de preparo e conservação estejam rigorosamente preservadas.

AstraZeneca

As 561.750 doses da AstraZeneca, que também integram o 21º lote de vacinas da maior operação de vacinação da história de Minas Gerais, tiveram o início da distribuição, por via terrestre, para as regionais de Barbacena, Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Itabira, Leopoldina, Ponte Nova, Teófilo Otoni e Unaí no dia 28/5.

As vacinas da AstraZeneca são destinadas à ampliação da imunização de pessoas com comorbidade, deficiência permanente, Forças de Segurança e Salvamento e a inclusão de trabalhadores do transporte aéreo e portuário.

Clique aqui para acessar a tabela com o detalhamento da distribuição das vacinas AstraZeneca e Pfizer (Arquivo em formato .XLS).

Os municípios que não receberam vacina da Pfizer no estado de Minas Gerais, na 21ª remessa, serão contemplados com a vacina da AstraZeneca/Fiocruz para a população com comorbidades e pessoas com deficiência permanente.

URSs que receberão vacinas em seus aeroportos: 

– SRS Alfenas

– SRS Diamantina

– GRS Ituiutaba

– GRS Januária

– SRS Montes Claros

– SRS Patos de Minas

– GRS Pedra Azul

– SRS Teófilo Otoni

– SRS Uberaba

– SRS Uberlândia

 

URSs que retirarão as vacinas no aeroporto da URS polo:

– SRS Passos

– GRS Pirapora

– SRS Pouso Alegre

Acompanhe o quantitativo de cada remessa:

1ª remessa

577.480 doses da CoronaVac em 18/1/2021

2ª remessa

190.500 doses de AstraZeneca em 24/1/2021

3ª remessa

87.600 doses da CoronaVac em 25/1/2021

4ª remessa

315.600 doses da CoronaVac em 7/2/2021

5ª remessa

220.000 doses da AstraZeneca e 137.400 doses da CoronaVac em 23/2/2021

6ª remessa

285.200 doses da CoronaVac em 3/3/2021

7ª remessa

303.600 doses da CoronaVac em 9/3/2021

8ª remessa

509.800 doses de CoronaVac em 17/3/2021

9ª remessa

86.750 doses da AstraZeneca e 455.800 doses da CoronaVac em 20/3/2021

10ª remessa

116.600 doses de AstraZeneca e 359.000 doses de CoronaVac em 26/3/2021

11ª remessa

73.250 doses de AstraZeneca e 943.400 doses de CoronaVac em 1/4/2021

12ª remessa

257.750 da AstraZeneca e 220.400 da Coronavac, em 8/4/2021

13ª remessa

426.000 da AstraZeneca e 275.200 da CoronaVac, em 16/4/2021

14ª remessa

316.750 doses da AstraZeneca e 73.800 da CoronaVac, em 23/4/2021

15ª remessa

578.000 doses da AstraZeneca e 11.800 doses da CoronaVac, em 29/4/2021

16ª remessa

30.400 doses da CoronaVac, em 1/5/2021 e 676.250 doses da AstraZeneca, em 3/5/2021

17ª remessa

50.310 doses da Pfizer, em 3/5/2021

18ª remessa

396.500 doses da AstraZeneca, em 6/5/2021, e 100.200 doses da CoronaVac, em 8/5/2021, e 112.320 doses da Pfizer, em 10/5/2021

19ª remessa

422.750 doses da AstraZeneca e 207.800 doses de CoronaVac., em 13/5/2021, e 101.600 doses da CoronaVac, em 14/5/202

20ª remessa

435.500 doses da AstraZeneca, 8.200 doses da CoronaVac e 64.350 doses da Pfizer, em 18/5/2021

21ª remessa

561.750 doses da AstraZeneca e 60.840 doses da Pfizer, em 26/5/2021

Total: 10.050.450 doses – Fonte: Agência Minas

 

 

 

 

 

 

 

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Unknow (Alguém que ja participou desse sistema Ebenezer e conheceu nos bastidores) on Patrícia Lelis se envolve em mais uma polêmica, ataca seu ex pastor no Twitter
admin on Turpis Nisl Sit
admin on Turpis Nisl Sit