Criança indígena de SP é primeira a ser vacinada no Brasil contra a Covid-19

A vacinação ocorreu por volta das 12h, em um evento organizado pelo governo de São Paulo para inaugurar a vacinação para a faixa etária de 5 a 11 anos.

0
168

Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, natural de Mato Grosso, foi a primeira criança a receber a dose contra Covid-19, nesta sexta-feira (14/1) em São Paulo.

Da etnia Xavante, Davi é morador de Piracicaba, no interior de São Paulo, mas está na capital paulista para realizar um tratamento médico. A criança foi a primeira criança a ser vacinada contra a covid-19 no Brasil.

A vacinação ocorreu por volta das 12h, em um evento organizado pelo governo de São Paulo para inaugurar a vacinação para a faixa etária de 5 a 11 anos.

“Dia histórico! Emoção em ver nossas crianças sendo vacinadas. Alívio para pais e mães, que aguardavam ansiosamente pela imunização e proteção de seus filhos. A vacina salva!”, Governador João Dória.

 

Davi recebeu a primeira dose do Imunizante da Pfizer, único liberado pela ANVISA para crianças.

Estava presente profissional da saúde e o governador de São Paulo, João Doria.

O início da vacinação da faixa etária para o público de 5 a 11 anosvai ocorrer segunda-feira (17), em todo o estado e serão priorizadas as crianças indígenas, quilombolas e com comorbidades.

A diretora do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), Rochelle Walensky, na quinta-feira (16/12), endossou, uma preferência clínica, as recomendações atualizadas da vacina COVID-19 do ACIP (Comitê Consultivo em Práticas de Imunização), expressando uma preferência por indivíduos com 18 anos ou mais para receber vacinas de mRNA (Pfizer-BioNTech & Moderna) contra Covid-19, em vez de vacinas de vetor viral Johnson & Johnson (J&J).

Membros do comitê dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos avaliaram que os benefícios da vacina superam quaisquer riscos para crianças de 5 a 11 anos. A vacinas de mRNA (Pfizer-BioNTech & Moderna) contra Covid-19, em vez de vacinas de vetor viral Johnson & Johnson (J&J).

As recomendaçés foram unânimes do ACIP que seguiu uma discussão robusta das evidências mais recentes sobre a eficácia da vacina.

 

Esta recomendação atualizada do CDC segue recomendações semelhantes de outros países, incluindo Canadá e Reino Unido. Dado o estado atual da pandemia aqui e ao redor do mundo. O ACIP reafirmou que receber qualquer vacina é melhor do que não ser vacinado.

 

Os indivíduos que não podem ou não desejam receber uma vacina de mRNA continuarão a ter acesso à vacina COVID-19 da Johnson & Johnson.

 

“Fizemos avanços importantes no ano, desde o início do programa de vacinação COVID-19. Mais de 200 milhões de americanos concluíram sua série de vacinas primárias, fornecendo proteção contra COVID-19, prevenindo milhões de casos e hospitalizações e salvando mais de um milhão de vidas. A recomendação atualizada de hoje enfatiza o compromisso do CDC em fornecer informações científicas em tempo real ao público americano. Eu continuo a encorajar todos os americanos a serem vacinados e estimulados”, Rochelle Walensky.

O órgão de controle americano (CDC) aconselha que todas as pessoas com 5 anos ou mais recebam uma vacina COVID-19, para ajudar na proteção contra COVID-19.

O órgão esclareceu que nenhuma vacina ainda é recomendada para crianças com 4 anos e menos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui