“Eu estou em pedaços”, diz Jovem que relatou estupro e ter sido desacreditada na delegacia.

O resultado constatou a presença da droga conhecida como "boa noite, Cinderela", usada principalmente em casos de violência sexual, já que deixa a pessoa desorientada e sem consciência dos seus atos. 

0
566

Franciane Andrade, 23 anos, que denunciou ser estuprada durante o rodeio de Jaguariúna, no interior de São Paulo, participou com exclusividade no programa “Encontro com Fátima Bernardes” na manhã desta quinta-feira (09/12), hoje.

Os fatos: Franciane Andrade denunciou em vídeo, ter sido dopada e estuprada durante o rodeio de Jaguariúna, no interior de São Paulo.

Fatima iniciou a entrevista com a jovem perguntando como ela está hoje?

“Eu estou em pedaços é como se tirasse minha alegria, mas eu estou passando pela psicóloga”.

Francine agradeceu a Dra. Katia Rosa que tem faz um belo trabalho em Formando psicólogas Justiceiro, do Projeto Justiceiro, idealizado pela promotora Gabriela Manssur, que tem o lema que “Lugar de mulher é onde ela quiser”.

A promotora Gabriela Manssur participou da entrevista junto a Jovem

A jovem lembra que estava ali, feliz, as bebidas eram servidas pelas próprias pessoas e depois não lembra mais nada.

Ela relatou o que se lembra da noite do ocorrido, afirma que foi desacreditada na delegacia e cita a preocupação da ginecologista ao ver as lesões.

Durante o programa da Rede Globo, a jovem respondeu uma pergunta da Fátima Bernardes se não tinha nenhum amigo que pudesse ter a ajudado. Ela respondeu que lembra da noite do ocorrido e ainda afirmou que conheceu as pessoas que a acompanhavam no evento horas antes. Segundo ela, não eram amigos próximos.

“Eu lembro de entrar no ônibus, chegar na festa, colocar pulseirinha. Tinha muita gente, subimos para o camarote, gravando stories. A gente mesmo servia as bebidas. Eu desci para Pista Premiun, depois não lembro de mais nada”, disse Franciane.

A promotora Gabriela Manssur respondeu a Fátima Bernardes à importância da denúncia e deixarei o link para que assistam a integra da entrevista.

A influenciadora contou que começou a passar mal no domingo e procurou uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) juntamente com os pais.

“Eu comecei a desconfiar depois que, no mesmo dia que aconteceu o fato, eu fui no UPA, que é um atendimento super-rápido. Estava passando mal, vomitando o tempo todo, meus pais me levou imediatamente a UPA e agradeço meus pais. E na segunda noite, comecei a sentir fortes dores no pé da barriga e na musculatura da vagina e que a mãe disse que amanhã cedo vamos fazer o BO para ver o que aconteceu com você”, disse a jovem.

“Fui muito mal recebida na delegacia. Desacreditaram da minha palavra. Relataram o B.O ali do jeito que a escrivã queria, não deu apoio nenhum. Depois que fui lá de novo, que souberam do relato do legista do IML, agradeço a delegada Gisele me ajudou muito, que é de Mogi Guaçu, e agradeço muito a ela também”, afirmou.

Parar por para que possam assistir a integra da entrevista. E agradecer a Fátima Bernardes por ajudar a jovem.

Segundo a promotora Gabriela Manssur, o exame toxicológico não foi solicitado pela Polícia Civil e por isso, a jovem fez o teste dias depois, por via particular, com a ajuda da organização.

O resultado constatou a presença da droga conhecida como “boa noite, Cinderela”, usada principalmente em casos de violência sexual, já que deixa a pessoa desorientada e sem consciência dos seus atos.

“A Ginecologista ficou impressionada com as lesões sexuais, que eram muito graves, apresentadas por uma menina que foi se divertir numa festa, cuja família estava aguardando ela em casa, e chegou estuprada e drogada”, disse.

Os exames feitos pela vítima foram realizados com ajuda do projeto Justiceiros e encaminhados ao Ministério Público. Já o laudo do IML (Instituto Médico Legal) ainda é aguardado pela Polícia Civil.

Por ser motivo de estupro, o caso é investigado em segredo de justiça pela Delegacia de Jaguariúna. A Polícia Civil informou que está analisando as imagens do sistema de monitoramento da cidade e das 53 câmeras de segurança Rodeio de Jaguariúna, que foram disponibilizadas pela organização do evento.

A organização do Rodeio de Jaguariúna informou que o rodeio aguarda a conclusão das investigações e segue à disposição da Polícia Civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui