11 C
New York
sábado, outubro 23, 2021
InícioBrasilNovo Coronavírus no Brasil: 11,73 milhões de recuperados, 93.317 novos casos, 348.718...

Novo Coronavírus no Brasil: 11,73 milhões de recuperados, 93.317 novos casos, 348.718 mortes.

Os dados foram enviados pelos estados ao Ministério da Saúde e ao Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

Jornalista Hernane Amaral,
Portal GmundoNews, Portal AmaralNews
Me acompanhe no Facebook
Me acompanhe no Instagram

Novo Coronavírus no Brasil: 11,73 milhões de recuperados, 93.317 novos casos, 348.718 mortes. Os dados foram enviados pelos estados ao Ministério da Saúde e ao Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

O Ministro Marcelo Queiroga visitou hospitais federais, que ganharam dezenas de leitos de UTI com recursos do Governo Federal.

“O presidente Jair Bolsonaro me pediu para nós avaliarmos tudo que for inovação e, se funcionar, colocarmos à disposição da população brasileira. A gente tem que se unir e a vacina é a nossa prioridade, nós vamos vencer a pandemia”, enfatizou Queiroga

Segundo Queiroga, é necessário restabelecer o canal de comunicação com a sociedade científica, academia e médicos assistenciais para construir uma saída conjunta. “A vacina é uma delas, não é hora de aprofundarmos divergências, mas buscarmos convergências”. Além disso, o ministro reiterou a obediência aos cuidados de prevenção, como o uso de máscara, constante higiene das mãos e distanciamento.

“Ainda estamos com número de óbitos elevado. A mortalidade nas unidades de terapia intensiva (UTIs), a despeito do esforço que existe, é elevada, e a gente precisa trazer soluções. Do ponto de vista do governo, a solução mais consistente é uma campanha forte de vacinação”, disse Queiroga em entrevista coletiva.

.Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus.

O Ministério da Saúde enviou 478.150 doses de vacinas contra a covid-19 para o Estado de Minas Gerais.

Esta é a 12ª remessa enviada para para dar continuidade à imunização dos mineiros

Foram 478.150 doses – sendo 257.750 da AstraZeneca e 220.400 da Coronavac.

As doses chegaram na quinta-feira (8/4), para à Central Estadual de Rede de Frio. 

Esta remessa será distribuída proporcionalmente para a segunda dose ao esquema de vacinação dos trabalhadores da Saúde (30,7%) e da população de 70 a 74 anos (22%). 

Também está prevista a continuidade de aplicação da primeira dose (D1) dos grupos de 65 a 69 anos e dos integrantes das Forças de Segurança e Salvamento.

O 12º lote de imunizantes para a população mineira veio de caminhão, de São Paulo, diretamente para a Central Estadual da Rede de Frio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). As doses serão encaminhadas às 28 Unidades Regionais de Saúde (URSs) do Estado, e, posteriormente, chegarão aos municípios, responsáveis pela execução da campanha de imunização.

Todos os estados e Distrito Federal vão receber os imunizantes de forma proporcional e igualitária a partir.

Foram enviadas 4.416.550 milhões de doses para todo o Brasil de forma proporcional e igualitária: 2.008.800 da Coronavac, do Instituto Butantan, e 2.407.750 da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – os dois imunizantes são produzidos no Brasil com matéria-prima importada.

Enquanto isto, a variante brasileira que foi detectada em Manaus, do Novo Coronavírus brasileira conhecida como P.1 é a segunda mutação mais perigosa detectada nos Estados Unidos.

O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doença) norte-americano informou que o país está numa nova escalada com quase 80.000 infectados. 

A mutação brasileira desafia a ciência e a estrutura de saúde estudos mostram que ela se alastrou em 3 meses pelos estados brasileiros com alto potencial de contágio.

Amostras de cidades no interior de São Paulo revelam a P1 em mais de 90% dos casos.

Esta  nova cepa é mais transmissível e pode infectar até mesmo quem já tem anticorpos contra o novo coronavírus.

A rotatividade nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) tem sido alta 

No Mato Grosso do Sul, com a variante do coronavírus circulando, o tempo médio de internação dos pacientes que morrem pela doença tem sido de apenas dois dias. 

Todos os dados revelam que a nova variante P1 é perigosa, já que no início do ano, os pacientes ficavam em média duas semanas internados antes de morrer.

Com o avanço da doença e as medidas de restrição não respeitadas, falta de sequenciamento do vírus e vacinação lenta fazem do país um caldeirão de mutações.

Resultados preliminares de um estudo feito com 67.718 trabalhadores da saúde de Manaus mostram que a vacina contra a covid-19 Coronavac tem 50% de eficácia na prevenção da doença após 14 dias da primeira dose. A pesquisa do grupo Vebra Covid-19 é a primeira a avaliar a efetividade do imunizante em um local onde a variante P.1 é predominante

No Brasil, por exemplo, há pelo menos três variantes que surgiram aqui e chamam a atenção: a P1 (de Manaus), a P2 (do Rio de Janeiro) e agora a N9. A primeira já é internacionalmente classificada como uma “variante de preocupação“ (Variant of Concern ou VOC, na sigla em inglês). Isso porque as pesquisas indicam que é altamente transmissível e poderia deflagrar casos mais graves.

Uma nova cerpa foi identificada em Belo Horizonte que tem uma combinação inédita de 18 mutações no Sars-Cov-2., já chamada de P4.

Veja também

Jornalista Hernane Amaral,
Portal GmundoNews, Portal AmaralNews
Me acompanhe no Facebook
Me acompanhe no Instagram

Variantes brasileiras são perigosas e mata mais rápido

Pesquisadores da UFMG e do Grupo Pardini alertam que nova variante do novo coronavírus pode estar circulando em Belo Horizonte e outras cidades mineiras. A equipe sequenciou 85 genomas de Sars-CoV-2 de amostras clínicas coletadas na região metropolitana de Belo Horizonte e identificou dois novos genomas com um conjunto de 18 mutações desconhecidas, o que caracteriza possível nova cepa do Sars-CoV-2.

Para evitar o colapso do sistema de saúde, os municípios de Belo Horizonte e Montes Claros adotaram medidas mais severas de restrição da circulação de pessoas, e seguindo orientações do Comitê Permanente da UFMG de Enfrentamento ao Novo Coronavírus.

Enquanto isto a variante brasileira que foi detectada em Manaus, do Novo Coronavírus brasileira conhecida como P.1 é a segunda mutação mais perigosa detectada nos Estados Unidos.

 

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Unknow (Alguém que ja participou desse sistema Ebenezer e conheceu nos bastidores) on Patrícia Lelis se envolve em mais uma polêmica, ataca seu ex pastor no Twitter
admin on Turpis Nisl Sit