PCMG prende suspeito de abusar de pelo menos cinco meninas em Betim

Um celular foi apreendido com o suspeito durante a operação para cumprimento da ordem judicial de prisão.

0
58

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu preventivamente, na manhã de ontem (30/5), um homem, de 32 anos, suspeito de abusar sexualmente de, ao menos, cinco meninas, com idades de 5 a 14 anos. Os crimes foram registrados em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

 

De acordo com informações da delegada Ariadne Coelho, responsável pelas investigações, a equipe da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) em Betim apurou que os crimes ocorriam há pelo menos 20 anos. “O investigado era amigo dos familiares de todas as vítimas. Ele se aproveitava da condição dessas relações para ganhar confiança dos pais das menores e levá-las para a residência vizinha dele, onde os abusos ocorriam”, revela.

 

Ainda de acordo com Ariadne, o sinal de alerta veio da mãe de uma das garotas, que relatou ter percebido alteração no comportamento da filha. “A partir daí, imediatamente a PCMG deu início às investigações e, com base nas informações fornecidas naquela primeira denúncia, descobrimos outras quatro vítimas identificadas até o momento”, explica a delegada. “As próprias mães das outras meninas, ao serem alertadas pela família da primeira vítima a reconhecer os atos criminosos do suspeito, conseguiram obter a confirmação de que o mesmo teria ocorrido com elas”, completa.

 

Modo de agir

 

As investigações revelaram que os abusos sofridos pelas vítimas eram diversos ao da conjunção carnal em si. “Temos evidências de que o suspeito, contudo, teria tentado molestar por penetração, ao menos duas vezes, as crianças de 9 e 11 anos”, acrescenta Ariadne Coelho.

 

Segundo os levantamentos realizados pela Deam, a partir do momento em que passou a ser investigado pela PCMG, o suspeito teria cometido diversos crimes contra as vítimas e os familiares delas com o objetivo de tentar intimidá-los para que não continuassem a colaborar com as apurações. “Ele chegou, em um dos casos registrados, a cometer maus-tratos contra um cão filhote de uma das garotas, ensanguentando-o, para que servisse de ameaça”, pontua a delegada.

 

Providências

 

O Conselho Tutelar de Betim acompanha o caso, e o investigado permanece no sistema prisional até que o inquérito policial seja concluído. Ele poderá responder pelos crimes de estupro de vulnerável, coação no curso do procedimento investigatório, ameaça e maus-tratos a animal doméstico.

 

Um celular foi apreendido com o suspeito durante a operação para cumprimento da ordem judicial de prisão. O aparelho já foi encaminhado à perícia oficial para que sejam analisadas possíveis informações que levem à identificação de outras prováveis vítimas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui