Rússia x Ucrânia, atualização

O exército russo está se reagrupando para concentrar os principais esforços nas direções de Slobozhansky (Kharkov) e Donetsk.

0
193

O Banco Mundial alerta que a guerra na Ucrânia ameaça causar danos duradouros a países de baixa e média renda, levando milhões de pessoas à pobreza e levando dezenas de países a uma crise de dívida.

O Brasil fez lobby pelo levantamento das sanções aos fertilizantes minerais.

Segundo a CNN Brasil, em 26 de março, o chanceler do maior país sul-americano, Carlos França, durante conversa com o secretário de Estado norte-americano Anthony Blinken, pediu permissão a Washington para comprar fertilizantes excedentes de países sob sanções para evitar escassez deste produto no Brasil.

Estado Maior das Forças Armadas da Ucrânia: Rússia retira unidades SEPARADAS do território das regiões de Kiev e Chernihiv.

Por satélite é visível a retirada das forças russas enquanto alguns combates continuavam. Informou a da Ucrânia. A inteligência americana já está observando a retirada de parte das tropas russas de Kiev.

A Rússia está transferindo parte das tropas das regiões de Kiev e Chernihiv para a direção de Donetsk e Kharkov.

Alexei Danilov, secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional, falou sobre isso.

“Algumas dessas pessoas que estavam nas direções de Chernihiv e Kiev estão sendo realocadas. Alguns deles aparecem nas direções Kharkov e Donetsk. Lá, o inimigo está agora fortalecendo seus agrupamentos para tentar aumentar a pressão sobre nossos caras que estão defendendo a Ucrânia nas regiões de Kharkiv, Donetsk e Lugansk”.

De acordo com a CNN, citando fontes de alto escalão do governo americano, grupos táticos do batalhão russo já deixaram algumas áreas adjacentes à capital ucraniana. A inteligência descreveu isso como uma “grande mudança estratégica”.

Os interlocutores do canal acreditam que a Rússia pode cobrir a retirada com bombardeios aéreos e de artilharia de Kiev. Ao mesmo tempo, autoridades dos EUA alertam que as forças russas sempre podem se mobilizar novamente se as condições de combate permitir.

EUA e Reino Unido: julgaremos Putin não por palavras, mas por atos

Em 29 de março, as declarações do chefe da delegação russa, Vladimir Medinsky, em conversações com a Ucrânia de que “a Rússia deu dois grandes passos em direção à paz”, o secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, disse que “até agora não vi nada que indique avançar, porque não vimos sinais de real seriedade.” O secretário de Estado declarou numa conferência de imprensa em Marrocos, onde se encontra em visita.

“Existe o que a Rússia diz e existe o que a Rússia faz”, disse Blinken. “Estamos focados no último”.

“Hoje, devo dizer, por um lado, saudamos a Ucrânia por ficar à mesa (negociações – ed.) Apesar dos bombardeios a cada minuto. Mas, ao mesmo tempo, não vi nenhum esforço significativo por parte da Rússia para terminar diplomaticamente esta guerra que está travando”.

“Condenamos veementemente as aparentes atrocidades cometidas pelas forças do Kremlin em Bucha e em toda a Ucrânia. Estamos buscando a prestação de contas usando todas as ferramentas disponíveis, documentando e compartilhando informações para responsabilizar os responsáveis”.

O cenário deixado pelo exército russo era triste, descritos pelas forças ucranianas que liberam a cidade perto de Kiev.

Não é um campo de batalha, é uma cena de crime’: as tropas em fuga de Putin deixam para trás 410 corpos em meio a evidências de execuções civis, estupros e valas comuns na pior atrocidade europeia desde as Guerras dos Balcãs, enquanto líderes europeus pedem investigação internacional.

Em retirada Moscou foi acusada de genocídio na noite passada, após acusação que as forças russas deixaram para trás evidências horríveis de estupros, execuções civis e valas comuns.

A barbárie dos soldados de Vladimir Putin foi comparada às atrocidades dos nazistas e ao Grande Terror de Stalin quando os horrores da Segunda Guerra Mundial retornaram à Europa.

Foram encontradas ruas repletas de cadáveres de civis e tanques russos queimados,  evidências horríveis de atrocidades contra civis espalhados pelos subúrbios e cidades da região, transformados em zonas de guerra infernais pela invasão de Vladimir Putin.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, decidiu lançar urgentemente a necessária investigação independente sobre os crimes do exército do russo.

“Chocada com relatos de horrores indescritíveis nas áreas de onde a Rússia está saindo… Os perpetradores de crimes de guerra serão levados à justiça”, escreveu ela no Twitter.

Bucha, uma cidade a noroeste da capital, as forças russas deixaram ruas bloqueadas por tanques e veículos militares russos incendiados, e cheios de corpos de civis que, segundo moradores, foram mortos pelas forças invasoras sem provocação.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky e o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, acusaram o Estado russo de ‘genocídio’.
Fotografias da cidade mostraram uma cena de devastação, com pedaços de tanques carbonizados e destruídos e veículos blindados alinhados ao longo de uma rua, junto com cadáveres.

Cena de uma cidade destruída, com pedaços de tanques carbonizados e destruídos e veículos blindados alinhados ao longo de uma rua, junto com cadáveres.

Três corpos estavam presos em bicicletas após o último passeio, enquanto outros caíram ao lado de carros atingidos por balas e esmagados, conforme informações da Agência AFP.

As imagens dos corpos me nego a postar, em respeito ao povo ucraniano.

O lado russo solicitou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para hoje, na parte da tarde, de 4 de abril.

“Traremos os presunçosos provocadores ucranianos e seus patronos ocidentais “para a água potável”, disse Dmitry Polyansky, vice representante da Rússia na ONU”.

“Todas essas pessoas foram baleadas”, descreveu o prefeito de Bucha, Anatoly Fedoruk, à AFP, acrescentando que 280 outros corpos foram enterrados em valas comuns na cidade. “Estas são as consequências da ocupação russa.”

O procurador-geral da Ucrânia está reunindo um dossiê de alegações sobre o uso russo de crianças locais para evitar incêndios quando se retiram da capital ucraniana e de outros lugares.

Nas imagens, Soldados Ucranianos relatam que fizeram um pente fino na floresta entre Motyzhyn e Severinivka (região de Kiev, rodovia Zhytomyr) anteriormente liberadas das forças inimigas

Foram encontrados vários equipamentos/armas, deixados após a retirada do exército russo.

A porta-voz da Casa Branca, Kate Bedingfield, disse que Putin é mal informado por seus assessores e militares sobre o quão ruim está a operação militar e como a economia russa encolheu porque seus assessores têm medo de lhe dizer a verdade.

“O objetivo da Rússia de capturar toda a Ucrânia já desmoronou” – o chefe do Estado-Maior de Defesa do Reino Unido, almirante Tony Radakin, relata a BBC.

“Putin não tem visão de longo prazo, embora gostaria que acreditássemos nisso. Ele se prejudicou com uma série de erros catastróficos ”, observa o almirante.

A secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, disse estar “chocada com as atrocidades em Bucha e outras cidades da Ucrânia”. “Devemos responsabilizar os responsáveis ​​pelos atos aterradores cometidos pelas tropas russas em Bucha, Irpin e em outros lugares da Ucrânia”. “O regime de Putin não poderá encobrir seu envolvimento nessas atrocidades”. “Relatos de forças russas visando civis inocentes são abomináveis”. “A Grã-Bretanha se juntou a nossos aliados e parceiros para apoiar nossos bravos amigos ucranianos em sua luta”. “Juntos, não podemos descansar até que a Ucrânia prevaleça e Putin falhe”. “O Reino Unido está trabalhando com outros para coletar evidências e apoiar a investigação de crimes de guerra da Corte Internacional Criminal e os responsáveis ​​serão responsabilizados”, tuitou Truss na noite de sábado.

“Esta noite falei com o presidente Volodymyr Zelenskiy.  Parabenizei suas bravas forças armadas por repelir o exército invasor da Rússia, mas reconheço os enormes desafios que enfrentam e o terrível sofrimento infligido aos civis da Ucrânia”. “O Reino Unido continuará a intensificar o apoio militar, econômico e diplomático, incluindo o aumento das sanções para aumentar a pressão econômica sobre a máquina de guerra de Putin enquanto as tropas russas permanecem em território ucraniano”, tuitou Boris Johnson.

Existem claras evidências de que o Kremlin retirou suas forças de Kiev para aumentar sua força de tropas no leste da Ucrânia. Putin tem interesse nesta região e a invasão russa está longe de terminar.

As forças russas estão somente se reagrupando sem demonstrar uma retirada por completo.

A Rússia já anunciou que queria “concentrar os seus esforços na libertação do Donbass”, no leste da Ucrânia, onde Kiev disse temer um agravamento da situação. É lá que ficam Donetsk e Lugansk, as capitais das duas “repúblicas separatistas” pró-Rússia reconhecidas apenas por Moscou.

O Ministério da Defesa russo novamente enfatiza que o principal objetivo da guerra é estabelecer o controle sobre todo o Donbass.

Esta tese foi expressa pessoalmente pelo Ministro da Defesa Shoigu.

Ele afirmou que “as principais tarefas da primeira etapa da operação militar especial na Ucrânia foram concluídas”, “o potencial de combate das Forças Armadas da Ucrânia foi significativamente reduzido” e, portanto, “é possível focar nos principais objetivo” – estabelecendo o controle sobre todo o território das regiões de Donetsk e Luhansk.

Disse ainda que “a operação militar especial continuará até que os objetivos estabelecidos sejam alcançados”.

Neste cinco semanas de guerra, cerca de 4 milhões de refugiados, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, repetiu novamente sua advertência de que as tropas russas querem capturar o Donbas e o sul da Ucrânia. Em seu discurso noturno em vídeo no sábado, Zelenskiy disse que “estamos cientes de que o inimigo tem reservas para aumentar a pressão no leste”.

Para Zelenskiy é necessário fortalecer as defesas na direção leste e em Donbas, Qual é o objetivo das tropas russas? “Eles querem capturar o Donbass e o sul da Ucrânia”.

Fontes relataram uma série de explosões na cidade portuária de Odessa, no sul, na manhã de domingo.

Duas explosões altas foram ouvidas na cidade portuária de Odesa, no sul da Ucrânia, no domingo, com fumaça preta subindo de uma área industrial. “Odesa foi atacada do ar. Alguns mísseis foram derrubados pela defesa aérea”, disse o conselho da cidade em um breve comunicado no aplicativo de mensagens Telegram. Ele informou que incêndios foram relatados em algumas áreas, mas não deu nenhuma indicação do que foi atingido no ataque.

Os mísseis russos destruíram depósitos de combustível no porto de Odessa, bem como uma refinaria de petróleo na região de Poltava, na região central da Ucrânia, informaram as autoridades locais.

O negociador de paz da Ucrânia, David Arakhamia, teria dito que a Rússia “verbalmente” aceita a posição ucraniana nas negociações de paz, informou a AFP, exceto para a questão da Crimeia. Moscou também concordou que um referendo sobre o status neutro da Ucrânia “será a única saída para esta situação”.

O prefeito de Odesa, Hennadii Trukhanov, disse que o ataque não deixou vítimas. “Hoje os ocupantes atingiram locais críticos de infraestrutura de Odessa com mísseis”, disse Trukhanov em pronunciamento na TV. “Felizmente, não há vítimas. Apenas prédios estão danificados. “A situação já está sob controle”, disse.

Em outra parte, o vice-primeiro-ministro da Polônia acusou a França e a Alemanha de estarem muito próximas da Rússia em uma entrevista publicada no domingo, ao condenar o comportamento de Berlim em relação a Moscou antes da invasão da Ucrânia.

Mídias locais divulga vídeo da Cidade de Irpin libertada pelas forças Ucranianas.

“Uma das cidades para as quais ainda é cedo para voltar, mas que já está completamente sob controle ucraniano” – RT

“Os ucranianos receberão indenização por moradias destruídas devido à guerra”, Foi afirmado pelo presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky.

Segundo ele, o Estado vai compensar os ucranianos pela perda de cada metro de imóveis perdidos.

Irpin ainda é extremamente perigosa e fora dos limites para civis – a cidade ainda está ao alcance da artilharia russa. No entanto, mesmo após o fim das hostilidades, os moradores locais não poderão retornar em breve – a maioria dos edifícios está destruída ou danificada além do reparo.

Segundo as autoridades locais, cerca de 50% das instalações de infraestrutura crítica foram destruídas na cidade.

A Comissão Europeia está preparando novas sanções contra a Rússia – sua escala depende da posição de Moscou sobre pagamentos de gás em rublos. É relatado pela Reuters.

Um pacote de novas sanções pode estar pronto já nesta próxima semana

A ONU relata que eles conseguiram obter evidências do uso de armas proibidas pela Rússia em áreas povoadas pelo menos 24 vezes

Detalhes: a organização também está investigando os fatos do possível uso de armas e munições proibidas pelo lado ucraniano.

Secretário-Geral da OTAN: Aliança fornecerá armas à Ucrânia o quanto for necessário

“Precisamos continuar fornecendo armas para a Ucrânia pelo tempo que for necessário, porque a Ucrânia está lutando por nossos valores, liberdade e democracia”, disse o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, na quinta-feira, apresentando seu relatório anual de segurança de 2021 em Bruxelas e respondendo a uma pergunta. de jornalistas sobre se a OTAN tem um prazo para o fornecimento de armas à Ucrânia.

Além disso, ele chamou de “perigosa” qualquer ideia sobre a intervenção de um pequeno grupo de países da Aliança na guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

O Pentágono disse que as forças militares russas em breve concentrarão seus ataques aéreos em Kiev, Chernigov, Izyum e Donbass, informa a CNN.

Segundo eles, o exército russo está aumentando o número de missões da aviação militar no último dia – um total de mais de 300 missões.

Conforme anunciado, Zelensky conversou com Erdogan. O resultado – a Turquia está pronta para se tornar uma garantia de segurança para a Ucrânia.

As partes também concordaram em novas medidas para alcançar a paz.

O canal de TV turco Haber Global mostrou um esquema segundo o qual a Armênia enviou combatentes para ajudar a Federação Russa em 23 de março do aeroporto de Erebuni em Yerevan.

 

4 aeronaves de combate Su-30 dos pilotos armênios decolaram às 12h50, horário local, e atingiram o alvo na Federação Russa às 13h14.

 

Ao mesmo tempo, fotos de satélite confirmaram a informação: em 18 de março, os mesmos 4 Su-30 estavam na base aérea e, em 25 de março, outro tipo de aeronave.

 

O presidente armênio Pashinyan observou que os aviões não voaram para fora do país, mas se o contrário for provado, a Armênia estará sob sérias sanções.

No sábado, 2 de abril, os trabalhos de busca e resgate continuam no prédio destruído do Conselho Regional de Nikolaev.

No total, após o bombardeio do prédio pelos militares russos, os socorristas removeram os corpos de 30 mortos sob os escombros e outra pessoa morreu devido aos ferimentos no hospital.

O chefe do OVA de Donetsk, Pavel Kirilenko, pediu a todos os civis que deixem a região para regiões mais seguras:

“Uma das importantes alavancas de manipulação e obtenção de resultados para o inimigo será a população. Portanto, as pessoas precisam sair para tirar essa alavanca das mãos do ocupante. E será muito mais fácil para os defensores do Donbass para vencer o inimigo”, explicou o oficial.

Uma das unidades de reserva das Forças Armadas da Ucrânia recebeu metralhadoras Browning M2 de 12,7 mm e metralhadoras alemãs MG3 de 7,62 mm fornecidas pelos Estados Unidos.

Presidente Volodymyr Zelenskyy visitou a ponte que liga Irpen a Kiev

O presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky visitou a ponte sobre o rio destruída pelos invasores russos. Irpin na rodovia R-30 na saída da cidade de Irpin, perto de Kiev.

De acordo com o chefe de Estado, serão necessários dez dias para construir uma passagem temporária aqui, e uma reparação completa da ponte durará dois a três meses.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui